sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O Sanatório de Valongo

Já andava de olho neste edifício há alguns tempos, e aproveitei uma viagem ao norte para o visitar, é mais um de uma longa lista de sanatórios que tenho para expor neste espaço.
Este é mais uma unidade hospitalar abandonada que testemunha o flagelo que foi a tuberculose em Portugal.
Por nos dias de hoje haver cada vez menos pessoas que se lembrem desta epidemia, e por ter sido encontrada a cura para esta doença, passa-nos despercebida a amplitude desta praga em termos sociais.
É pela dimensão, volumetria e número de hospitais para tuberculosos abandonados, que tomamos realidade do que aconteceu num passado pouco remoto... e já ninguém fala nisso...
Só na Serra do Caramulo houve mais de vinte sanatórios, encontrando-se hoje abandonados e na maioria estado de ruína, onde o Ruin’Arte passou e colheu algumas pérolas.
Embora a erradicação da tuberculose tenha sido indubitavelmente um benefício inquestionável para todos nós, o abandono e sub aproveitamento destes hospitais condenou a uma morte lenta a economia e ambiente destas remotas povoações.
São inúmeros os sanatórios em estado de ruína que povoam as solarengas encostas das nossas montanhas, criando um parque imobiliário de descomunais estruturas que em nada nos servem. São atentados ao ambiente, à economia e à inteligência, pela falta de aproveitamento.
Estas estruturas eram construídas em locais de elevada altitude, não só pela qualidade e pureza do ar , como também por serem afastados das populações para evitar contágios.
Autênticas paisagens de sonho e idílicos lugares  foram esquecidos num curto espaço de tempo... enfim... o reino da tranquilidade e qualidade de vida trocados pela citadina e diária azáfama...
Porque não são convertidos em pousadas, edifícios de apartamentos, clínicas, ou para  qualquer outro  fim??
O Sanatório de Valongo fica situado Monte da Santa Justa, freguesia e concelho de Valongo, outrora conhecida pelas minas romanas que aqui e ao longo de vários séculos foram exploradas, colocando esta terra no mapa económico de Portugal.
O sanatório foi traçado por Júlio José de Brito, construído em 1932 como uma obra do Estado Novo, tendo depois sofrido obras de ampliação que terminaram em 1958.
No auge da sua laboração chegou a albergar mais de três centenas de doentes e contava na sua estrutura, com capela, escola e um edifício de lavandaria.
Foi assaltado, espoliado e vandalizado por elementos de extrema esquerda em 1974, e desde então que o seu estado se vem a degradar de dia para dia.
Este sanatório, é hoje cenário de jogos de guerra e campo de treino de autênticos exércitos de jogadores de paintball... também os entusiastas do todo terreno por aqui libertam alguma adrenalina, e sabe Deus quem mais frequenta este local... pelo menos está a ser aproveitado por alguém...



23 comentários:

  1. Pois...acabou-se a tuberculose,mas descansem que o pinóquio está a apostas no seu recrudescimento.

    Agora a sério. Não conhecia, mas acho o movimento da fachada muito interessante bem como alguns aspectos interiores .

    ResponderExcluir
  2. Viva!
    Começo por dizer que o Ruin'arte é muito telegénico, tal como o seu mentor. Parabéns pela excelente reportagem.
    Visitei pela primeira vez este sanatório à 10 anos, portanto em 2000. Neste post noto pouca diferença desde essa altura - provavelmente uma boa construção, mas noto mais vandalismo, há mais grafitis, mais lixo, e provavelmente novas utilizações do espaço...
    E imaginar quantas vidas ali entraram e não sairam.
    E perceber que nada se faz com um edifício com uma óptima localização e onde se respira um ar mais puro...
    Abraço,
    MSK

    ResponderExcluir
  3. Sou da Covilhã mas vivo em Lx há 9 anos. Sempre gostei de visitar edifícios abandonados. Um que me fascinava sempre que lá ía, era o sanatório dos ferroviários na encosta da Serra da Estrela na Covilhã. Descobri este blog há uns 4 meses e não sei se já o documentou alguma vez. Aqui fica a sugestão. Acredite que vale bem, a pena, apesar de há uns anos a esta parte, se tenha degradado bastante:

    http://galerias.escritacomluz.com/xicoxico/album03

    Parabéns,
    Luís Santos

    ResponderExcluir
  4. Do uma correção... Valongo é concelho, logo não pertence a Gondomar.

    De resto, bom post e fantásticas fotos.

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso o lugar e as fotografias!
    :)))

    ResponderExcluir
  6. siza style :)

    http://www.flickr.com/photos/flipsecret/5274103472/in/set-72157625533387611/

    ResponderExcluir
  7. A tuberculose não acabou. Morrem mais pessoas de tuberculose, em todo o mundo, do que de qualquer outra doença infecciosa durável. A tuberculose mata aproximadamente dois milhões de pessoas por ano, 98 por cento das quais em países em desenvolvimento. Um terço da população mundial encontra-se infectado pelo bacilo da tuberculose (bacilo de Koch).
    Para lidar com este tipo de doença, houve um homem que morreu com mais de 80 anos e desde os 18 que se debateu contra ela. Ironicamente escreveu um poema «Pneumotórax». Falo de Manuel Bandeira e deixo-lho:

    «Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos.
    A vida inteira que podia ter sido e que não foi.
    Tosse, tosse, tosse.
    Mandou chamar o médico:
    — Diga trinta e três.
    — Trinta e três . . . trinta e três . . . trinta e três . . .
    — Respire.
    — O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
    — Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
    — Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.»

    Obrigada pela visita :).
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  8. Uma estrutura maravilhosa e relativamente fácil de recuperar. para fazer o quê, isso é outra história.

    ResponderExcluir
  9. Deparai-me hoje com a tua obra, os meus sinceros parabéns! Continua, cumprimentos!

    ResponderExcluir
  10. Notável! Muitos parabéns e boa sorte nas suas andanças!
    Tem fotos suberbas.

    ResponderExcluir
  11. artigo soberbo em blogue soberbo! estou intrigada e incomodada. pf queira dizer me de quem é o cão que aparece na maioria das fotos. grata

    ResponderExcluir
  12. fica situado na serra de santa justa, que se divide entre os concelhos de Valongo e Gondomar. Embora esteja às portas de S.Pedro da Cova, freguesia do concelho de Gondomar, ainda pertence a Valongo freguesia e concelho.

    ResponderExcluir
  13. ERRADO! Ninguém se atreva a remodelar o nosso sanatório . Senão podem crer que aquilo vai abaixo de novo (:

    ResponderExcluir
  14. alguém me pode dizer onde posso encontrar a planta deste edifício?
    se alguém me poder dizer agradecia que respondessem para o seguinte e-mail: em10092@fe.up.pt

    ResponderExcluir
  15. Sitio altamente mesmo.

    ResponderExcluir
  16. Fui la e gostei muito ,

    ResponderExcluir
  17. hard tecnho sanatorio :) passem por lá a noite ;)
    beijos a prima

    ResponderExcluir
  18. Que erro!!!! Valongo é um concelho!!! Não pertence a Gondomar. Vamos lá mudar isso sff.

    ResponderExcluir
  19. Alguém sabe quem são os actuais donos do terreno e se e possível arranjar a planta do edifício principal.
    Se me conseguirem arranjar a planta do edifício, ficaria muito agradecido.
    O meu mail: xyops@hotmail.com

    ResponderExcluir
  20. fds , tanta gente q morreu lá , sem ser de tuberculose , mataram-nas lá ...

    ResponderExcluir
  21. Gostei muito deste seu artigo, no entanto deveria realmente corrigir o que diz respeito ao concelho a que pertence o sanatório. É realmente ao concelho de Valongo que,para além de freguesia é também concelho e nada tem que ver com Gondomar!
    Ana Pereira

    ResponderExcluir
  22. Boa Tarde,
    é incrível o facto de eu ser habitante, desde que nasci há 39 anos, de uma freguesia de Valongo e não ter conhecimento deste edifício. Só comentando com a minha mãe é que me confirmou o mesmo. Infelizmente a tuberculose ainda não acabou, ainda há pouco tempo duas jovens que conheço tiveram a doença...
    Parabéns pela reportagem está magnifica.
    Sandra Mesquita

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...