segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Prémio Valmau - Qual é o prédio de Lisboa que mais gostava de ver em ruínas????

Lisboa tem sido vandalizada continuamente ao longo de muitos anos, está a perder a sua identidade, o seu charme, a sua nobreza...

 WTC - Campo Grande (se lhe aterrasse um boeing em cima ninguém levava a mal...)

Não somos contra a arquitectura contemporânea, tanto respeitamos um bom edifício, como um bom palácio, não se trata de uma época ou estilo, trata-se apenas de MAU GOSTO!!!

 Av. da Liberdade aos Restauradores

A arquitectura portuguesa através da sua história, sempre se inspirou nas várias correntes europeias, criando pela miscigenação um estilo bem português. Arquitectos como Raul Lino, Raul Martins, Norte Júnior, Cottinelli Telmo, Pardal Monteiro, Cassiano Branco, Cristino da Silva, Fonseca George e outros nomes sonantes desta grande arte, foram os últimos lusitanos a marcar um estilo português...

                     Av. do Brasil (dois hinos ao mau gosto de décadas consecutivas)

Desde os anos 60 e mais tarde a partir de meados de 70 surgiu um novo estilo certamente inspirado nas novelas e no espaço 1999... as construções "à moderna", que banalizaram a arquitectura como forma de arte e criando bairros inteiros de prédios despersonalizados com uma estética efémera. Como as modas vão mudando de ano para ano, foi-se repetindo a mesma asneira com requintes de criatividade e falta dela. 
 Av. Fontes Pereira de Melo

Nasceram bairros como Benfica e outros autênticos atentados à sanidade emocional de quem passa e vive nestes meios urbanos...como não há muito espaço no centro de Lisboa, foram florescendo entre os melhores exemplos arquitectónicos autênticos mamarrachos que desfiguraram a cidade, não só pela sua estética e pelo seu desenquadramento , mas como também pelo lugar que tiraram a edifícios muito mais nobres...

Na Praça Duque de Saldanha nasceu este...hummmm ...hããããã...sei lá o quê... (Tomás Taveira)

A futura Igreja de S.Francisco Xavier (Troufa Real)

Com vista a premiar essas bizarras estruturas e em conjunto com o SOS Lisboa decidimos tomar a iniciativa de os convidar enviando as vossas propostas para o Prémio Valmau,  a antítese do prémio Valmor...
A Lusa na 2ªCircular...não sei se é do Taveira ou de um discípulo, mas lá que tem toque do mestre, tem...

Este  pesadelo de betão foi plantado na Av. Álvaro Pais e chamaram-lhe Marconi...coitado do Guilherme...



Na mesma avenida lisboeta, podemos admirar este misto de Taveira com Byrne...não sei quem é o autor, mas devia-lhe ser cassada a licença por atentado ao pudor urbano...

Eu nunca gostei do Colombo,  nem do navegador nem do centro comercial... agora com duas torres ainda está pior...
Contamos com a vossa participação massiva enviando fotos e comentários... juntem-se a esta causa e ajudem-nos nesta incansável demanda...

Qual é o prédio de Lisboa que mais gostava de ver em ruínas????

As categorias a concurso são:
1) Prémio Valmau,
2) Prémio Valpéssimo e
3) Prémio Valmhorrível.

 ...e valha-me Deus...


Não se abstenham  e votem no PIOR!!!!

90 comentários:

  1. eu voto naquele novo do Saldanha. Adorava ve-lo em ruínas tal e qual como o que estava lá anteriormente.

    ResponderExcluir
  2. também voto no do Saldanha, coisa horrorosa.

    ResponderExcluir
  3. eu voto num que ainda está por construír: o novo Museu dos Coches...já viram o projecto???

    ResponderExcluir
  4. Indiscutivelmente no busto da Praça Francisco Sá Carneiro (Areeiro). Como é que não faz parte desta lista?

    ResponderExcluir
  5. Pois é "Dom" Gastão - apetece-me chamar-lhe assim - estou 100% de acordo consigo. Pode deitar os quatro abaixo. Já agora, há uns outros que ainda não começaram a ser construídos. Mas vão dar nas vistas, ai isso vão.
    Mais uma vez parabéns pelas fotos e pela lição de história.
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  6. Eu sugiro o prémio do "Val ser uma desgraça!" e atribuia directo à nova Igreja de São Francisco Xavier! Quem não conhece, pode ver em http://www.ionline.pt/ifotogaleria/34084-22361-troufa-real-justifica-igreja-aberrante-com-o-queijo-limiano

    ResponderExcluir
  7. Sem dúvida no do Salldanha. Os outros todos são maus mas este é mesmo horrivél...

    ResponderExcluir
  8. Todos os que vi são horriveis mas o do saldanha ganha aos pontos.

    ResponderExcluir
  9. Desculpem mas pior do que este é o da Rua Brancaamp. Ó coisinha mais feia...

    ResponderExcluir
  10. É impossível escolher. São todos mesmo muito maus. Mas o do Saldanha... vence o maior prémio.

    ResponderExcluir
  11. Confesso que considero o edifício Marconi (nome original Arcanjo S. Miguel) bastante bonito, dentro do que é um edifício moderno e do respectivo enquadramento paisagístico. Claro que não fala na história portuguesa tal como todos os edifícios que mostra neste seu extraordinário projecto. Se tivesse de votar, claramente o edíficio da Praça Duque de Saldanha, se bem que me parece que praticamente toda a praça poderia ir abaixo...

    ResponderExcluir
  12. discordo com a maioria deste post. os ultimos exemplos são de prédios lindissimos. O da TMN na alvaro pais está bastante bem conseguido e será um edificio histórico no futuro. o da mesma rua também é agradavel. os exemplos não foram felizes. eu votaria no primeiro

    ResponderExcluir
  13. a torre colombo é majestosa e divinal :)

    ResponderExcluir
  14. Para além de alguns dos apresentados, que revelam a total falta de nível e de provincianismo da «nova arquitectura», que se limita a destruir paisagens urbanas - muitas vezes agradáveis e de valor cultural - para nivelar tudo pela bitola aculturada do «moderno» (quando tiverem substituído tudo, todas as urbes parecer-se-ão com imensos dormitórios incaracterísticos e caóticos), poderia referir o ainda incompleto substituto do hotel Estoril-Sol (também ele pouco elegante, mas enfim), em Cascais, do Gonçalo Byrne, que é apelidado pelos habitantes locais como «o horrível», ou «o monstro».

    De qualquer modo, da forma imbecil como foi concebido e com as «soluções» estruturais empregues, creio que um sismo médio de predominância vertical - que poucos ou nenhuns danos causaria a um edifício clássico bem construído - o transformaria rapidamente em ruína.

    Mas o que é que se quer, a «arquitectura» de hoje está bem a par dos tristíssimos tempos que atravessamos - feia, imprática, incaracterística e totalmente desumanizada.

    Boas noites.

    ResponderExcluir
  15. Tanta ignorância que para aqui vai meu deus...

    ResponderExcluir
  16. Talvez não fosse má ideia incluir a nova Igreja do Restelo , já em construção penso.
    Mas pelo que vi das imagens...

    ResponderExcluir
  17. O comentário do Carlos Portugal revela uma falta de conhecimento do que é arquitectura e engenharia que é de bradar aos Céus.
    Instrua-se, leia, compre revistas portuguesas de Arquitectura, veja os prémios que Arquitectos e Engenheiros portugueses ganham, cá e lá fora também, e depois talvez chegue à conclusão que será melhor fazer um acto de contricção...
    ou ainda é um dos "velhos do Restelo", como antigamente se dizia e sem ofensa para os da zona, que são tão retrógados quão imbecis?
    Olhe...ainda bem que não é arquitecto ou engenheiro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os arquitectos parecem ser os únicos satisfeitos, completamente indiferentes ao mal estar que provocam aos habitantes com estas construções sem nexo.
      Não importa a quantidade de vozes que se levantam... Os prédios antigos vão continuar a cair...

      Excluir
  18. Quando é que os Arquitectos/Engenheiros e Paisagistas se juntam para pensar espaços que não agredidam,que não sejam invenções para o novo-rico, e de quem quer apenas ser original(não quer dizer bom) e que antes sejam espaços que contribuam para o equilibrio social e familiar, para o verdadeiro bem-estar?

    ResponderExcluir
  19. Caro Anónimo de 12 de Março:
    Curioso, pois sou mesmo engenheiro de estruturas, e cursei também arquitectura, tendo efectuado muitos estudos de estabilidade para arquitectos de renome... Mas o meu curso ainda foi do antigo IST, que era dado como deve ser, e não na ignorância actual e bolonhesa. É que a experiência adquire-se, não se ministra a tenras idades...
    Quanto aos prémios de que fala, e às revistas que espelham o aberrante, não passam dos «amigos» a darem prémios uns aos outros, espelho da política, dos interesses instalados e do extremo mau-gosto. Nunca ouviram falar em «forma-função»? ou toda a «arquitectura» actual é fruto de mentes sado-masoquistas, onde a qualidade de vida e o conforto são valores a eliminar?
    Ainda não perceberam que os modernos modelos de «arquitectura» de que fala só agradam a meia-dúzia de noveis arquitectos sem pensamento próprio (porque com eles não há inovação, apenas «tendências»), a jogadores de futebol com QI de mentecaptos e «cultura» de subúrbio e a políticos e empresários provincianos fascinados com o «moderno» e com as «possibilidades de negócio»...
    No fundo, querem é esmagar todo o passado para que ninguém se aperceba da falta de qualidade que têm, de não passarem de «operadores de CAD», numa globalização do efémero e do inculto. Por isso, concordo plenamente com a Cara comentadora Luísa. Fartos de mal-estar «imposto» por gostos aberrantes estamos nós... Ou ainda não compreenderam que os gostos não se impõem, por revistas, «prémios» e afins?

    Por fim, também não sou velho (enganou-se outra vez, a não ser que seja um garoto, para o qual todos os maiores de trinta ou quarenta anos são velhos), embora tenha efectivamente morado no Restelo e a minha família venha de longe, com tradições, cultura e pergaminhos, ao contrário das destes «novos rapazes», impantes de novidade e desconhecimento...

    Boas tardes, e leia - não revistas da «nova» arquitectura, mas manuais e obras de fundo... E esqueça os «prémios», que são sempre dados aos «amigos» e nunca a quem tem verdadeira qualidade.

    ResponderExcluir
  20. O do Saldanha realmente não faz falta nenhuma. Acompanhei a construção, dado que trabalho nesta zona e a quantidade de edifícios lindíssimos que vão sendo demolidos para dar lugar a estas aberrações é chocante. Não sou especialista, mas a Av. da República tinha bons exemplares de Arte Nova que foram susbtituidos por escritorios e outros prédios onde impera o vidro e o betão.

    ResponderExcluir
  21. O do Saldanha ao ara. Há pior mas naquela praça este é uma vergonha.

    zazie

    ResponderExcluir
  22. Gastão, há um que não colocas-te aqui e que bem que valia o prémio VALMAU e uns quilos de dinamite... é o actual prédio (cinema) Saldanha na praça com o mesmo nome... a lembrar que se deveria voltar a construir o que lá estava antes...!
    Não podendo votar neste... voto na Torre do Colombo, e aproveitando-se o entusiasmo vai a porcaria do "shoping" todo...
    Abraço,
    Manuel

    ResponderExcluir
  23. Definitivamente o de entrecampos "mistura de taveira com byrne"...
    passo lá quase todos os dias e até me doem os olhos!

    ResponderExcluir
  24. Então e um que há ao pé do mercado de arrois?
    para mim o pior é o novo do saldanha
    por acaso retirava da lista o da Alvaro Pais porque está enquadrado

    ResponderExcluir
  25. Parabéns Sr. Carlos Portugal, adorei ler a sua respota ao Sr. Anónimo de 12 de Março.
    Eu propunha a demolição desta "obra d'arte".
    http://www.flickr.com/photos/garota60/2634730818/in/set-72157605962085337/ acho que também teve um prémio.

    ResponderExcluir
  26. voto no misto de Taveira com Byrne, na Av. Alvaro Pais. Muito muito MAU!!

    ResponderExcluir
  27. Cara Marota:
    Muito obrigado pelo seu comentário.
    Quanto à «obra d'arte» que indica, ainda é pior do que o «fontanário» do topo do Parque Eduardo VII! Uma pequena carga de trotil resolvia o assunto. Quanto aos «prémios» a estas aberrações, palavras para quê?
    Cumprimentos.

    ResponderExcluir
  28. Prémio Valmau: Predio novo do Saldanha

    Prémio Valpéssimo: Av. da Republica (inumeros edificios medonhos)
    Prémio Valmhorrível: Futuro Museu dos Coches

    ResponderExcluir
  29. Não entendo os vossos gostos:

    TODOS os caixotes dos anos sessenta e setenta com marquises ganham todos os prémios.

    Agora por o marconi o do saldanha e colombo???? São lindos, verdadeiras obras de arte contemporanias

    ResponderExcluir
  30. desculpem, em cima é contemporâneas

    ResponderExcluir
  31. O problema de hoje não é só a falta de gosto. O gosto cultiva-se, coisa que não se faz hoje em dia porque o nível formativo é nivelado por baixo. O problema geral é falta de cultura e no que aos arquitectos diz respeito falta de cultura arquitectónica (salvo raras e honrosas excepções). Por isso os "monstros" aparecem como cogumelos pois nem sequer sabem a relação entre proporção e beleza. Sublinho por baixo a resposta de Carlos Portugal ao anónimo de 12 de Março, que parece alinhar-se com o novo-riquismo bimbo que infelizmente tomou conta da sociedade portuguesa.

    ResponderExcluir
  32. Voto na obra prima do Saldanha! A coroa/palmeira do topo são qualquer coisa de especial. Demoníaco.

    ResponderExcluir
  33. Passei pelo Saldanha na passada semana e quando vi o prédio coroado a única palavra que me ocorreu foi palhaço.

    ResponderExcluir
  34. Pessoalmente, não desgosto de nenhum destes edifícios à excepção do do Gemini, frente ao "Marconi".
    Quanto aos restantes, não os acho bons exemplos do que tem sido feito de muito mau em Lisboa.
    Particularmente o do Taveira no Saldanha será porventura das coisas melhores que ele fez. Não percebo porque tanta gente embirra com este prédio.

    ResponderExcluir
  35. Em ruínas: o projecto do Troufa Real, sobretudo pela zona onde vai ser concretizado!

    Está na altura de colocar um travão à criatividade agressiva e selvagem dos senhores arquitectos portugueses, que resistem e teimam em aprender pela pior maneira, a arte do bom-gosto.

    Aprendam e olhem o passado, pois nele está o futuro!

    Abraço

    ResponderExcluir
  36. eu não quero ver nenhum desses edifícios em ruínas...mas sim DEMOLIDOS

    ResponderExcluir
  37. todos, ou pelo menos a maioria, muito maus! Mas pior que tudo é que desvirtuam tudo o que está à volta. O do Saldanha é mais que mau. Aliás, houve uma conspiração bem montada para arruinar esta Praça, começando pela destruição do belo Cinema Monumental... e continuando com o centro comercial do outro lado da estrada, culminando com esta aberração! É feia em todo o lado, mas aqui fere a vista, a paisagem urbana e a aquitectura portuguesa.

    ResponderExcluir
  38. Fabuloso é:

    Acordar com as horríveis buzinas...grandes camiões a entrar na capital...escutar o trânsito caótico...e isto tudo pela manhã...que quando queremos abrir a janela para entrar um pouco de ar...morremos de imediato com cancro.

    Horrível é:

    Viver em Benfica e ver todos os dias o centro comercial Colombo...passear pelas avenidas novas e ver a nossa linda arquitectura "modernaça" imprópria para grávidas (pois provoca vómitos)...passear pelos jardins fazendo "gincana" pelo meio dos automóveis que se acumulam nos passeios...depois de se recusar a comer a sopa ser obrigado a olhar durante largos minutos para o edifício do corte inglês...discordar do governo e ser levado a sete rios para olhar as torres...e por fim...que mania que temos de mandar vir com o dono do cão...pois deixou para trás o "cagalhoto" do animal...
    "Cagalhotos"...estão e são construídos horizontalmente todos os dias por toda a cidade de Lisboa...Já não há românticos a construir...já não se faz poesia nos telhados (pois já não existem telhados)...e tenho eu 40 anos...
    Maior parte dos incultos portugueses...até são capazes de urinar no edifício da Assembleia da República...ou mesmo chamar bonito à nova coisa que construíram na Avenida Infante Santo...em Lisboa...onde nem sequer sabem nem sonham que esses assassinos a fizeram (a coisa) tapando assim grutas existentes naquele local...que julgo irem ter (entre muitos outros sítios)...à antiga residência dos Condes Passo de Arcos situada ali na freguesia da Lapa.

    Enfim...Lisboa…é assim transformada todos os dias...em cima de uma clave de sol...onde já não existem músicos que nela já não sabem compor...

    Resta-nos rezar aos antigos arquitectos portugueses.

    Carlos De Almeida

    ResponderExcluir
  39. É mesmo dificil a escolha entre tão bons exemplares reais, do disparate!

    ResponderExcluir
  40. ... parece a feira dos horrores. Urbanistas needed...

    ResponderExcluir
  41. Pelos comentários parece haver muita gente com empresas de demolição e entulho, não?
    Julga que por vezes mais importante que a boa arquitectura é a boa construção e a manutenção dos edifícios.
    Uma cidade não pode ser só feita de obras-primas e rasgos de genialidade.
    Grandes obras de arquitectura recente em Portugal foram todas, a seu tempo, polémicas e contestadas e provavelmente seriam demolidas por alguém.
    O português típico, quando escolhe casa, só compra tipo palácio de Queluz, ou de Sintra.
    Mas é obvio que a polémica é importante.

    ResponderExcluir
  42. é triste a ignorância revelada em alguns comentários.

    eu não gosto de nenhum dos exemplos dados, por mim ruíam todos.

    mas é muito ignóbil associar os arquitectos ao declínio das cidades. culpem os responsáveis camarários, os políticos corruptos, sobretudo os promotores novos-ricos e bimbos, os engenheiros que ainda se arrogam a assinar projectos de arquitectura, e por fim os poucos péssimos arquitectos escolhidos para fazer 90% das obras em Lisboa, só porque "se mexem bem na câmara" como garantia de aprovação rápida do projecto. nomeadamente o taveira, esse actor pornográfico.

    usar o nome do byrne num post destes é de um provincianismo atroz, criticar um projecto dele específico é uma coisa bastante válida, mas a forma genérica como foi utilizado o seu nome é de ignorante do mais alto grau.

    como de ignorante é sugerir fazer-se hoje em dia arquitectura do passado. porque não fazer um Partenon no lugar do Pavilhão de Portugal?

    é normal criticar-se arquitectura má, como os exemplos apresentados, mas confundir-se isso com a arquitectura CONTEMPORÂNEA (o modernismo acabou nos anos 60) é no mínimo, vá lá, estúpido.

    ResponderExcluir
  43. Caro Zé...

    Acho um pouco prepotente da parte do arqt. Byrne, tal como da sua parte e demonstra "um provincianismo atroz" falar de arquitectura contemporânea eclipsando outros valores que não sejam os próprios, tal como esse arquitecto falou sobre o Hotel Miramar, que foi em tempos o melhor e mais carismático edifício do Estoril.

    Ademais, a sua obra por muito extensa que seja nem sempre é pensada em função da volumetria, integração e materiais, espelhando apenas o seu ego.

    Posso referir pontualmente a torre do controlo marítimo que é revestida a cobre, o que além de muito caro também oxida... a sua "criatividade" deveria residir na sua traça que é claramente um plágio de duas torres madrilenas... também digno de reparo é o que neste momento mais me indigna como estorilense é o "Estoril Sol", que é a antítese do enquadramento urbano.

    Como vê posso referir o arqt. Byrne em termos gerais, pois ele próprio fez bem por isso...

    O declínio das cidades é sem duvida devido à má arquitectura, onde os arquitectos são normalmente uns dos maiores responsáveis, sem esquecer obviamente os autarcas, promotores e construtores....mas tudo começa num gabinete de arquitectura!!!

    Como é evidente, os estilos, os materiais e a tecnologia estão sempre em acelerada evolução. Embora haja muitas vezes um revivalismo, há que inovar, mas pode-se inovar sem destruir, sem desprezar e sobretudo sem desfigurar eternamente uma cidade ou paisagem!!

    Tal como escrevi, não somos contra a arquitectura contemporânea.....somos contra a má arquitectura e a destruição do património!!!

    ResponderExcluir
  44. O pior — a meu ver — está mesmo por vir: a (futura [??? — Ai.. valha-nos Deus!...]) igreja-meio-mesquita de São Francisco Xavier.
    Se 'aquilo' chegar mesmo a ser erigido, pedir um bombardeamento em tapete da 'coisa' é pedir pouco...

    Meus amigáveis cumprimentos,
    do Japão,

    Luís Filipe Afonso, NBJ

    ResponderExcluir
  45. Quero votar no do Saldanha!! cada vez que passo por ali pergunto-me: como é possível???

    ResponderExcluir
  46. Concordo 100% com o Carlos Portugal e com Gastão Brito e Silva.
    Não só subscrevo totalmente o que escreveram, como lhes agradeço e dou os parabéns.

    ResponderExcluir
  47. O da Fontes Pereira de Melo, mas preferia poder votar em todos!
    Abraço,
    maria

    ResponderExcluir
  48. Praça de Saldanha e o antigo edifício da Marconi.

    ResponderExcluir
  49. o prédio da Av Fontes Pereira de Melo é muito feio, mas vence, no meu ponto de vista, o prjecto da igreja S. Francisco Xavier, assemelha-se a uma tenda de circo (estou a ser injusta com o circo).

    ResponderExcluir
  50. Um destes dias fui recebido em entrevista com o objectivo de obtenir um emprêgo, por um personagem (meia idade) bem alimentado, muito bem barbeado, de lábios finos e sobrancelhas aparadas que vestia um fato de veludo cor de salmão. Uma parte do mobiliário em contraplacado cor de salmão mais escuro, contrastava com o restante, cromado, aonde enormes plantas e flores de plástico cuidadosamente polidas com um produto reluzente, completavam a decoração. A alcatifa macia e as paredes eram de um verde "caça" muito soft. As molduras dos quadros, douradas espessas e bastante trabalhadas. A luz, já refletida no exterior por uma parede bem branca, era filtrada pelas cortinas claras, tudo estava no seu lugar e muito limpo, podia-se repirar devagar sem desagrado.

    Se por um lado, logo decidi de não trabalhar ali, por outro, ainda hoje penso no valor, pela sua coerência, de tanta aberração junta.

    Conclusão:
    O que faz falta na arquitectura é coerência.

    ResponderExcluir
  51. Outra “beldade” será erguida nas ruas Lisboetas, desta feita no Largo do Rato.
    Aparentemente a coerência e coesão do espaço urbano não foi considerado...
    http://cidadanialx.blogspot.com/2010/12/camara-passa-licenca-projecto-do-largo.html

    ResponderExcluir
  52. sem dúvida nenhuma voto no prédio do Saldanha ! até certa vez passei lá de propósito com um familiar de profissão arquitecta para ver se era mesmo verdade.. Sugiro acrescentar um prédio "lindissimo" perto do Arco Cego - http://2.bp.blogspot.com/_BcKnG_zCe_k/SwakwZS8yoI/AAAAAAAAs-s/IR3Gj3ymKhQ/s1600/arco+cego.jpg - e a zona do parque das nações poderia ir , em grande parte, também toda ao ar

    ResponderExcluir
  53. eu voto numa coisa que não está aí, não é uma casa mas é a nova PRAÇA DO COMÉRCIO. que dor o que lhe fizeram..

    ResponderExcluir
  54. Não encontrei o que os meus olhos deixariam em ruínas se o meu olhar bastasse: a sede da Caixa Geral de Depósitos, o mais aborto dos abortos, o abjecto lusitano.
    Depois, e sem ordem mas com grande apetite, Colombo, Lusa, Marconi e essa coisa tipo delado pimba da Fontes Pereira de Melo.
    Abaixo vilanagem!

    ResponderExcluir
  55. Moro em Benfica, que é uma freguesia anárquica neste capítulo. Mas o pior ainda não é a falta de beleza ou estética inicial dos prédios de origem. O que mais me entristece são os atentados consentidos pela CML. As pessoas fazem varandas, gaiolas, pardieiros, acrescentam tudo e mais alguma coisa; colocam ares condicionados, estores e caixilhos de qualquer cor, põem antenas parabólicas. Enfim, e a CML nada faz...

    ResponderExcluir
  56. mmmm em Lisboa e redores (eu vivi 3 anos na Amadora, imagina!) existem muitos maus prédios que sinceramente não tem mesmo nenhumas linhas bonitas ou não se integram no meio ambiente.
    eu sei do que estou a falar, porque sou holandesa e na holanda nunca se viu tal coisa! o que é construido lá tem que se integrar no meio ambiente se não o projecto não é aceito!
    aqui em portugal infelizmente tem que ser construido o mais rápido possivel, tem que ser barato, tem que ter o máximo de apartamentos, meu deus onde foi parar toda a beleza que eu ja vi em prédios antigos!!??
    eu voto naquele da av. fontes perreira de melo

    ResponderExcluir
  57. Voto no mono da Av. da Liberdade aos Restauradores, que estraga o edifício do Palladium. Se fosse milionário, comprava esse mono e mandava-o implodir, com a CNN e cadeias todas de televião a filmar e depois ia ao Arquivo dos processos de obras de Lisboa procurar a planta do edifício que lá estava e mandava-o reconstruir

    ResponderExcluir
  58. Qualquer um deles é pessissimo, sem qualidade nenhuma na sua grande parte derivados de um novo riquismo a todos os niveis desolador, mas atenção:
    O da fontes pereira de mello, dentro do que foi a especulação das avenidas novas no inicio dos anos 50, não é mau...está é muito adulterado. A nova Igreja do Troufa...é complicado falar sobre ela...é que o projecto é antiquissimo e ela ainda não se construiu e já está desactualizada.
    Na pratica é como se em 1920 andassem a cosntruir casas art-nouveau...

    ResponderExcluir
  59. Não se pode votar em todos? Então voto no da Praça Duque de Saldanha, sobretudo por o "designer" ser reincidente em acções de destruição da paisagem urbanística típica de Lisboa.

    ResponderExcluir
  60. Eu até gosto do Marconi e acho que uma cidade é feita de diversidade. Tem que haver prédios representativos das várias décadas ou querem que apenas se construa/remodele mantendo a traça antiga? O que está a ser feito agora e que possa ser considerado de bom gosto, talvez daqui a 30 anos seja um mamarracho.

    Se esse prédio do Saldanha fosse p.ex em Barcelona ou NY, aposto que veria fotos em todo o lado com comentários elogiosos mas como é Portugal...toca a deitar abaixo tudo o que é inovador ou diferente. Até não acho assim tão mau, talvez o local não seja o melhor mas o se o próprio Monumental é horrível.

    À volta do Saldanha são dezenas de prédios em ruínas e prefiro um prédio novo a um em ruínas. Há muito mas muito pior que esse prédio por Lisboa.

    Se reparem nas fotos que aqui estão, muitos dos prédios estão completamente estragados pelas marquises/varandas fechadas. Uma de cada cor e materiais diferentes. Isto sim devia ser proibido pelo regulamento dos condomínios. É um atentado à arquitectura.

    Bom seria ver Lisboa toda remodelada como estão agora dois prédios a ser acabados na Av da República.

    ResponderExcluir
  61. Voto no "Av. Fontes Pereira de Melo"...sem dúvida. Até dói a vista e a alma ao olhar para este edificio...

    ResponderExcluir
  62. A arquitectura moderna não é péssima, não é feia, e não ponho em dúvida nada que a ela se refere, mas não na Lisboa antiga.
    Para a Lisboa que nós gostamos, a Lisboa de outros tempos desejo a remodelação de prédios e não a sua destruição.
    Estes prédios tornam-se horríveis nas zonas de Lisboa onde são construídos, abafando os que já lá estavam construídos, tirando-lhes a beleza e tornando a cidade feia.
    Por mim dou a todos o prémio pior que existir e proponho que a nova arquitectura passe para a parte moderna da cidade, e temos espaço noutras zonas onde poderão ser construídos esses prédios.
    O maior vandalismo que considero ter sido feito em Lisboa, foi na Rua António Maria Cardoso.
    Quem deixa construir aqueles apartamentos deixa fazer tudo, numa cidade onde o metro quadrado de terrenos atinge verbas exorbitantes.
    Assim foi posta à venda parte da nossa história e com esta etiqueta: "Apartamentos para casais jovens"...!
    Já lá passei três vezes e tenho fotografias dos apartamentos. E tenho amigos que foram levados à força para aquele espaço. Mesmo que eu tivesse muito dinheiro... seria um lugar onde nunca quereria viver.
    Aquilo é o máximo que pode acontecer á História dum País!

    ResponderExcluir
  63. Aquele do Saldanha, posso dizer que me envergonha para receber os turistas que conhecem a nossa história.

    ResponderExcluir
  64. Carlos
    Não percebo nada de arquitectura, mas sei do que gosto e do que não gosto, Assim os meus votos vão para:
    1) Prémio Valmau - Edifício do Centro
    Comercial Colombo, especial depois que
    lhe acrescentaram aquelas duas torres
    2) Prémio Valpéssimo - Edifício de Tomás
    Taveira na Praça Duque de Saldanha
    3) Prémio Valmhorrível - Igreja de S.
    Francisco Xavier (Troufa Real). ESpero
    que nunca seja construida.

    ResponderExcluir
  65. Voto em todos estes bichos de betão. Só é pena que estes edifícios se constituam como apenas uma pequena pacentagem daquilo de horrível que foi construído em Lisboa desde a 2 metade do séc xx até hoje

    ResponderExcluir
  66. Ao colocar nesta votação o "Prédio Marconi", que considero uma belissima obra de arquitectura, perdeu credibilidade e destaca quanto discutível podem ser as opiniões.
    Assim beneficiam os mamarrachos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho o Edifício Marconi bonito. Eu cá votaria no da Av. da Liberdade.

      Excluir
    2. Com tanto edificio horrivel na cidade vao meter o edificio Marconi e as torres do Colombo?? Acho de muito mau gosto terem colocado estas ultimas. Estes últimos tem claramente valor arquitectonico, é um desrespeito te-los colocado apenas porque você nao simpatiza com o estilo.

      Excluir
  67. O da avenida evidentemente. E acrescentem à lista, pelas mesmas razões (volumetria, enquadramento e mau gosto) os edifícios das riscas verdes deslavadas do largo Vitorino Damásio em Santos! Ora reparem lá, quando lá passarem... (e já agora o do IADE tb podia ir... enfim, pelo menos para outro lado)

    ResponderExcluir
  68. pois eu voto no taveira do saldanha. mas pelo contrário, gosto muito do prédio da f p melo.

    ResponderExcluir
  69. A escolha é complicada dada a elevada "qualidade" dos concorrentes. É tudo de muito mau a péssimo gosto apenas com duas excepções que, minha opinião, não deveriam constar na lista: o edifício da Marconi e o todo o Colombo.
    Outra mono que poderia fazer parte da lista: a sede da CGD.

    Se quisermos ir até ao Porto: o caixote amolgado de betão a que chamam Casa da Música.

    ResponderExcluir
  70. Mas quem é este analfabeto (Gastão Silva) para discutir arquitectura????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssima Sra. "Alexandra Ferreira"... por este post ser uma brincadeira, sugiro que vá brincar para a Feira Popular, ou dar espectáculo para o Parque Mayer... será inveja deste trabalho? ou nada mais tem para fazer?

      Excluir
    2. Já agora, "Sra. Alexandra Ferreira", (cobarde pseudónimo de um vil imbecil), fique a saber que tenho mais gosto em apagar os seu ignóbeis comentários, do que a "senhora" a fazê-los... e já agora trate-se, porque deve algures haver um Remédio para quem é tão Pires...

      Excluir
  71. Alexandra, tenha paciência. Sabe? Nem todos podem ser tão cultos como a Senhora. Mas olhe, uma coisa tenho ainda a notar. Para que nos serve tanta cultura, quando a má educação é tão vidente? Acha adequado chamar analfabeto a uma pessoa que, pelo menos me parece, não a conhece? Vá lá, porte-se como uma Senhora e não dê bufas destas tão mal cheirosas.

    ResponderExcluir
  72. Olha, olha...
    O cobarde anónimo arranjou um pseudónimo…como diz João de Deus “não faça tal”, não é que lhe levem a mal, mas destilar tanto veneno, poderá ser-lhe fatal!
    A inveja assim declarada pode mesmo ser “tomada” como grande Admiração.
    Cuidado, tenha mais calma, é que se continua desta forma terá problemas de coração!
    MSK

    ResponderExcluir
  73. Seguradora Ocidental na Alex Herculano (mesmo pegado a um Valmor), edifício do restaurante Faz Figura na Rua do Paraíso, Hotel Mundial no martim Moniz.

    ResponderExcluir
  74. Gostos são gostos, mas acho o prédio do Saldanha muito bonito, tal como o Marconi que, na minha opinião, devia estar num local de maior destaque. Enfim, falar mal é fácil, e há por aí muitos exemplos de prédios mais horrorosos.

    ResponderExcluir
  75. Caro Gastão, voto no do Saldanha, sempre que caminho por ali até me faz doer a alma!!!
    Abraço
    Sairaf

    ResponderExcluir
  76. O da av. Fontes Pereira de Melo, mercece o prémio especial "horror arquitectónico"... Aliás, o proprietário devia ser condenado a reconstruí-lo.... para preservar a saúde mental de quem por lá é obrigado a passar diariamente!

    ResponderExcluir
  77. Por mim gostaria de ver na ruína todos os edifícios, que são ostentações da Nova Ordem Mundial, do Capitalismo, todos aqueles que tivessem dependências bancárias e só não digo a Assembleia da República porque o digno e belo edifício, Casa do Povo e da Democracia (supostamente) não tem culpa de albergar a parasitagem que lá existe.

    ResponderExcluir
  78. Creio que gosto, só por si, é algo muito pessoal e por isso mesmo muito subjectivo e discutível... é preciso cuidado para não se iniciar uma caça às bruxas...
    O facto de não se gostar não implica falta de qualidade pois tanto há edifícios maus com 10 anos como com 200. Logicamente idade não corresponde a qualidade quer técnica quer estética.
    Talvez esta competição fosse mais interessante e tivesse mais valor se fosse mais abrangente em termos cronológicos...

    ResponderExcluir
  79. Para mim o único que se "safa" é o edifício da Marconi, todos os outros podiam ir abaixo. Não destruam a cidade onde eu nasci !!!

    ResponderExcluir
  80. Como é que ninguém se lembrou daquela coisa que está no lugar do saudoso Monumental?
    Não é só o prédio em si, mas acima de tudo terem derrubado o Monumental para construírem AQUILO!

    ResponderExcluir
  81. Como é que ninguém se lembrou daquela coisa que está no lugar do saudoso Monumental?
    Não é só o prédio em si, mas acima de tudo terem derrubado o Monumental para construírem AQUILO!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...