quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Arquitectura de veraneio de Cascais
























O período áureo da arquitectura civil cascalense coincide com o veraneio em Cascais e Estoris. A partir de 1870, data da primeira vinda de D. Luís I para a Cidadela de Cascais, inicia-se a edificação das mais luxuosas casas, como o Palácio Duques de Palmela, Chalet Faial e Casa Leitão, com projectos dos arquitectos Thomas Wyatt, José Luís Monteiro e António José Dias da Silva.
A tipologia do chalet, com características especificas de veraneio, como tal de uma habitação temporária, reproduz diversos modelos das rivieras europeias, especialmente francesas e inglesas.
No caso da vila de Cascais, Alto do Estoril, S. João do Estoril e Parede, a arquitectura de veraneio dos finais do séc. XIX e princípios do séc. XX assume-se num contexto urbano, apresentando o prédio inserido num pequeno jardim, ao invés do Monte Estoril, onde se pretendeu uma concepção do espaço como um extenso parque pelo que a área da zona verde em redor das habitações, para além de ser mais densa, é de maior extensão. Aliás, o Estoril, do projecto do Fausto de Figueiredo, no seu conceito de estância turística de luxo, recupera o modelo de um parque, razão também das grandes áreas verdes que envolvem as primeiras moradias construídas no local.
Raul Lino, nos princípios do séc. XX introduz a discussão da problemática da "casa portuguesa", movimento que pretende recuperar o ideário da arquitectura tradicional portuguesa, fazendo reviver as diversas épocas e estilos que se haviam sucedido ao longo de séculos. Trata-se de uma reacção à influência de um gosto estrangeirado, num forte espírito nacionalista, que perdurará até ao Estado Novo, amplamente divulgado pelo modelo tradicionalista de Tertuliano Marques com obra no concelho.
(texto extraido do site da C.M. de Cascais)

7 comentários:

  1. Belas fotos. Convido-o a postar no Cidadania Csc (http://cidadaniacsc.blogspot.com). Muitas dessas casas são batalhas nossas. Cumps. Paulo Ferrero
    P.S. Até breve?

    ResponderExcluir
  2. Este blog,pela pesquisa e grande qualidade das fotografias , tem o mérito de demonstrar as governações ruinosas e especulativas que temos tido,que preferem a negociata do alcatrão e do betão,á História e á Paisagem do nosso país.

    ResponderExcluir
  3. Fotografias fabulosas! Textos com investigação seriíssima! Que lástima todo o belíssimo património delapidado, desprezado, enquanto em Cascais, por exemplo, se constroem abortos como aqueles à entrada, onde existiu o Estoril Sol.Outros "valores" se 'alevantam'!...

    ResponderExcluir
  4. que pena! existem casa tao lindas e com um ar tao miseraveis... que pena! se eu tivesse dinheiro...

    ResponderExcluir
  5. Se tivesse aparecido uns meses antes teria conseguido sacar umas fotos ao palacete do Sec IX que que acabou destruído pela inoperância da Câmara Municipal de Cascais.
    Parece que estes vão-se seguir :'-(

    ResponderExcluir
  6. Tropecei aqui e gostei! sempre que passo pela casa da foto 2 penso... um dia vou comprar esta casa... enfim todos podemos sonhar, certo? Amo de paixão a casa leitão!
    Agora desculpem-me a ingorância, mas o que é feito dos donos destes palacetes? ninguém herdou? não pertencem a ninguém? Que pena vê-los a cair desta forma!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A casa Leitão está impecável e até penso tem um andar á venda.
      Passei o outro dia por lá e reparo sempre naquele espectaculo de terraço.
      Um sonho!

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...