domingo, 29 de novembro de 2009

Arqueologia Industrial

A arqueologia industrial é o parente mais mal amado e incompreendido do património arquitectónico.
Todas as fábricas em geral não despertam os mesmos sentimentos românticos que um palácio, castelo, mosteiro ou chalet.

Moinho da seca do bacalhau - Seixal

São estruturas por vezes rudes ou desprovidas de elementos decorativos que as tornam de certo modo um "parente pobre" da arquitectura. São geralmente notadas pela sua envergadura por vezes gigantesca, que deixa adivinhar a dimensão da sua importância quer no plano social, quer no plano financeiro de determinada localidade.

Fábrica dos Cabos de Ávila

Devemos às fábricas o sucesso financeiro de uma família ou grupo investidor e milhares de postos de trabalho que sustentaram famílias inteiras ao longo de gerações, além de terem projectado o País no plano internacional, fazendo concorrência a outras empresas do sector para além fronteiras.


Fábrica de Cervejas de Coimbra
 
A indústria portuguesa através dos tempos raramente se afirmou como uma indústria de qualidade,  tendo por vezes concorrentes de peso com os quais dificilmente podíamos competir.

Companhia do Cabo Submarino - Carcavelos

Tivemos Reis e governantes cujas responsabilidades foram preponderantes no  sucesso ou insucesso industrial. Como o nosso País teve períodos economicamente dourados, nem sempre tivemos a necessidade de produzir preferindo recorrer à importação, o que inevitavelmente contribuiu para uma grande quebra na balança comercial, além de que era muita mais "fino" comprar rendas francesas do que as fabricar.Enfim...éramos os novos ricos da Europa e hoje somos os velhos pobres, talvez graças a essa lacuna.




Moinho de maré - Seixal

Foram governantes como o Marquês de Pombal, que importaram não só as tecnologias, mas também os técnicos e industriais que dinamizavam este sector, que impulsionaram a indústria portuguesa. Estes industriais estrangeiros foram responsáveis por um sucesso temporário da nossa economia através dos bens produzidos e pelos postos de trabalho que estas empreitadas proporcionaram e em alguns casos ainda proporcionam. Só a partir do Séc. XVIII a nossa indústria conseguiu atingir padrões de qualidade que rivalizassem com as suas congéneres europeias, o que nos permitiu assumir algum protagonismo nos mercados exteriores.


Fábrica de Lanifícios da Arrentela

Chegámos a ser "campeões" em lanifícios e téxteis, calçado, cortiça, vinhos, conservas de pesca, material de guerra, construção naval, vidros e cristais, porcelanas e cerâmica e muitas outras actividades em que tivemos o orgulho em "dar cartas"...


Fábrica Mundet - Seixal

Hoje muitas dessas fábricas enfrentam problemas de tesouraria ou simplesmente faliram, deixando milhares de operários sem emprego e conduziram Portugal a um desequilíbrio político e financeiro.

Fábrica de tintas para imprensa - Alcântara

As causas foram inúmeras, desde falências fraudulentas, falta de investimento em pessoal e equipamentos, ganância e especulação, falta de visão industrial e obsoletismo de vários sectores...


Cerâmica de N. Sra. da Guia - Santarém


Pergunto-me a mim mesmo...porque é que não se ocupam as fábricas devolutas com novos projectos??
As estruturas estão montadas, só falta o equipamento e a avaliar pela taxa de desemprego, mão de obra não irá faltar...

Armazém Industrial no Boqueirão Duro - Lisboa

Falta talvez a coragem financeira e a iniciativa, quer da parte dos investidores, quer da parte do estado. A revitalização financeira deste País à beira mar plantado, passa certamente por esse gigantesco passo.
É necessário intervir com dinamismo e criatividade, se os nossos avós o conseguiram, porque não conseguiremos nós???

Fábrica de conservas de peixe - Olhão


Quem melhor tem aproveitado estes edifícios, são os "mestres grafiteiros livres" que costumam decorar as paredes por vezes com autenticas obras de arte, evitando deste modo a utilização de outros edifícios o  que poderia poluir ou vandalizar qualquer outro espaço público...


Fábrica  de Cerâmica de Arganil

É a um destes mestres que dedico este post, pelo seu criativo trabalho e pelo seu empenho em embelezar através da sua arte algumas destas magníficas ruínas...infelizmente este nosso leitor, prefere manter o anonimato impedindo-me de devidamente o honrar. A ele devemos também o nosso logotipo... poderão aqui ver algum do seu trabalho : http://www.flickr.com/photos/adres81/



Fábrica de sabão de Mendes Godinho - Almada    

Um comentário:

  1. A fabrica dos Cabos d `Avila é do arquitecto Edmundo Tavares, que foi também o arquitecto do Bairro Social do Arco do Cego, de muitas das moradias da Av. do Aeroporto e do nº 15 da Av. 5 de Outubro

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...