sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Forte do Rato ou de Santo António - Tavira



Tomei conhecimento deste forte através do Google Earth, que se revelou uma espantosa ferramenta de pesquisa. Mais tarde fui a Tavira passar uns dias de férias e aproveitei para o fotografar....curiosamente pouca gente em Tavira conhecia a existência desta fortaleza, foi por sorte e com algum sentido de orientação que o encontrei...valeu a pena.

O Forte de Santo António de Tavira, também conhecido como Forte do Rato ou Forte da Ilha das Lebres, localiza-se a Leste do sítio das Quatro Águas, na foz do rio Gilão, junto à barra da cidade de Tavira, no Distrito de Faro, em Portugal.

Erguido na segunda metade do século XVI na foz do rio Gilão, com a função de defesa do porto de Tavira, encontrava-se em construção quando da visita do rei D. Sebastião (1568-1578) aquela vila, no ano de 1573. Foi colocado sob a invocação de Santo António.
Notícia de 1577 dá conta de que a barra natural do rio Gilão localizava-se defronte à Fortaleza de Santo António.
No contexto da Guerra da Restauração da Independência, a sua estrutura foi remodelada, passando a complementar a defesa da Forte de São João da Barra de Tavira, no sítio da Gomeira, iniciada em 1672. Uma notícia de 1717, dá conta de que a barra natural do rio já se encontrava defronte ao sítio da Gomeira e, portanto, da nova fortificação.



Em 1792, numa relação do armamento existente neste forte, aponta-se que ele estava guarnecido por nove homens e artilhado com duas peças, estando uma sem apetrechos.
Em 1821, esta edificação encontrava-se guarnecida apenas por três homens, sem artilharia, com a porta bastante danificada e o armanezamento de pólvora em estado de abandono.
A fortaleza esteve ativa até 1840, quando, perdida a sua função militar, foi abandonada, por ordem do Governador das Armas da Província do Algarve.



De arquitectura militar da época moderna, a fortaleza possui planta poligonal com baluartes nos ângulos, cornija na muralha exterior. Porta aberta na frente voltada à terra. A fortaleza é um testemunho das preocupações defensivas da costa algarvia visto ter como objectivo defender a entrada do Porto de Tavira.
No seu interior existem ruínas das habitações que serviam de alojamento à guarnição e de paiol da Praça de Tavira, bem como o poço do abastecimento de água e alguns parapeitos.
O engenheiro Alexandre Massaii fala em cinco baluartes, acrescentando logo que os dois voltados a terra estão incompletos. No princípio do século XIX só existiam três baluartes voltados a sul, sendo a face norte constituída por um muro corrido e a entrada a meio.

3 comentários:

  1. Boas Gastão!
    Muito bom trabalho... saiu em livro?
    Abraço - CM

    ResponderExcluir
  2. Conheço este sítio. Belas imagens. Efeito espectacular. Que inveja :)E a estória dá jeito saber.
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  3. Desculpe mas está enganado, a grande maioria dos Tavirenses conhece o Forte do Rato, visto que este se situa junto a movimentado Hotel e, inclusivamente, pode ser avistado do cais de desembarque da Ilha de Tavira. Quanto muito admito que a população desconheça o nome do imóvel, mas apenas isso.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...