terça-feira, 16 de agosto de 2011

O Aqueduto de Pegões

 
Foi uma ruinosa e desventurada aventura por terras de templários que me levou a este portentoso monumento. Além de constituir um valioso património histórico, é também uma notável obra de engenharia e arquitectura. Pelo seu estado de conservação e por ter sido votado ao esquecimento, mereceu a atenção deste nosso projecto que tentou ressuscitar parte da sua história.
Foi erigido por vontade de Felipe I para abastecer o Convento de Cristo,  e percorre cerca de seis Kms desde Pegões.  A sua construção teve início em 1593 pela traça e supervisão de Filipe Terzi, tendo sido concluído por Pedro Fernandes de Torres em 1614, foi ainda em 1617 ampliado e chegou finalmente ao claustro de D. João III em 1619.
 
Tem a triste sina de ver o seu protagonismo ser ultrapassado pelo Convento de Cristo, e foi esquecido quando deixou de ter utilidade... desde então que tem sido tratado com desconsideração e desinteresse, pois a sua manutenção não é tão rentável como o dito convento...
Por boa parte do seu percurso ser subterrado (de toda a sua extensão apenas cerca de 1350 metros estão acima da superfície) e passar por terras particulares, a sua existência quase passa despercebida. Apenas temos noção da sua grandeza no vale de Pegões, quando somos esmagados pela sua imponência.
 
A sua altura atinge 30 metros neste troço e é suportado por 58 arcos de volta inteira, sobre 16 arcos em ogiva que se apoiam em poderosos pilares, somando 180 arcos em toda a sua extensão. É também neste troço que se encontram duas casas abobadadas com pias de decantação, que têm servido de casa de banho pública, além de serem  continuadamente vandalizados por grunhos que teimam em deixar as suas indeléveis marcas.
O aqueduto era servido por três mães de água que foram a minha principal demanda... As descrições que me fizeram do ambiente destes reservatórios superavam com eloquência qualquer outra perspectiva deste monumento, além de proporcionar mais uma ruinosa aventura na cãopanhia do Edgar... tinha mesmo que as encontrar...
Ouvi falar destas estruturas perdidas e esquecidas, que me fizeram imaginar um imenso reservatório com todo o romantismo e ambiente de aventura que estes locais transmitem, seria a coroa de glória desta reportagem que atempadamente concluirei, pois infelizmente não os consegui encontrar.
Perguntei por todas as populações e bati a várias portas, mas ninguém me soube indicar a localização, acabei por desistir depois de acompanhar o aqueduto em toda a sua extensão e de me ter emaranhado por campos de cultivo e de ter percorrido e palmilhado uns bons Kms de floresta. Dou alvíssaras a quem as encontrar...!!!

13 comentários:

  1. Viva Gastão!
    Parabéns pela excelente reportagem (fotografias UAUUUUUUUUUU e levantamento histórico... fantástico).
    BUT... é facto já nos habituou a tanta BELEZA... a passados tão bons, tão reconstrutores... Vamos fazer mais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Por favor mostre que o que faz faz todo o sentido, neste país "à beira mar abandondano" mas não esquecido por muitos.
    Boas férias... se é que as tem.
    Abraço com toda a admiração,
    MSK

    ResponderExcluir
  2. Mais uma excelente reportagem, acompanhadas destas maravilhosas fotos.

    ResponderExcluir
  3. Ele vive! :)

    Um pormenorzinho: é Filipe I e não Felipe I. E para que não haja dúvidas, basta dizer que o nosso Filipe I é o Felipe II da malta aqui ao lado.

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito do seu blogue e achei interessantíssimo o post. Uma das "casas" que aparece nas fotografias é uma das "mães d'água"? É tudo lindíssimo e é pena que não tenha mais atenção por parte de quem pode/deve salvaguardar o nosso património.

    ResponderExcluir
  5. Olá, não sei se é isto que procura, mas talvez ajude... no Google Earth existem duas fotos do 360 Cities da Nascente da Porta de Ferro (exterior e interior). Pela localização faz todo o sentido que seja umas das mães de água (e está identificada como do aqueduto de Tomar). Coordenadas: 39º37'05,3"N 8º27'19.5W. Esta nascente consta na carta militar, onde também estão outras duas mais a norte: Nascente do Vale da Pipa e Nascente do Cano.

    ResponderExcluir
  6. Já não transporta água,mas fez-lhe o fluxo, sim!
    Parabéns! Acabei de conhecer o seu blog e impressionou-me.
    Jmalvar

    ResponderExcluir
  7. São espantosas as suas fotografias, e espantoso como temos a "lata" de deixar ao abandono o que seria um monumento fabuloso.
    Somos um País rico em passado, de tal maneira que podemos abrir as mãos e deitar fora... o que não interessa!
    Isto não é "arte, cultura e história"...?
    Abraço
    A Luz A Sombra

    ResponderExcluir
  8. Não sei se ajuda mas aqui ficam algumas pistas da mae de água. Com as imagens 360º e as panoramicas e alguma informação adicional pode ser que ajude!
    Aqui fica o link:
    http://www.a-rsf.org/grupos/grupo-portugal/folder.2008-03-31.8647890213/aqueduto-dos-pegoes.html

    ResponderExcluir
  9. Caro Gastão,
    Há imenso tempo que não visitava o seu blog, do qual sou fã... Agora reparei que postou fotos do Aqueduto dos Pegões, Tomar... Pertinho da minha casa... Adoro a cidade de Tomar... a minha cidade... mas fico realmente triste com o estado em que alguns monumentos tomarenses estão: Por exemplo, o belíssimo Convento de Santa Iria, situado num local privilegiado da cidade está ao abandono há anos...
    Finalmente os Lagares d'el rei estão a ser recuperados, depois de muitos anos de decadência... Vamos esperar pelo resultado!

    Mais uma vez, os meus sinceros parabéns pelo Blog!

    Cumprimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se desejar conhecer o traçado do aqueduto dos Pegões e demais informações pode consultar um trabalho feito por um aluno do Instituto Politécnico de Tomar em
      http://portal.estt.ipt.pt/engcivil/estt3701/Index.html
      Programe uma nova visita e boa Sorte

      Excluir
  10. Antes de mais nada, muitos parabens pelo optimo blog e optima reportagem com estes pectaculares registos totograficos, encontrei este aqueduto ao acaso durante um passeio motard, ficamos maravilhados com esta construçao, gostava de saber se é possivel fazer os 6 km a pe, já que foi mensionado de que atravessa propriedades privadas, tem vedaçoes o outros obstaculos que nao permitam que possamos acompanhar a pe? agradecemos que alguem responda, muitos cumprimentos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo, obrigado pelo comentário... o passeio pelo aqueduto será um pouco difícil, porque uma boa parte do curso está soterrado, no entanto o que estiver a descoberto será "passeável"...mas cuidado com as alturas.

      Se invadir alguma propriedade não se preocupe, porque bater, não batem, e ralhar não dói...

      Excluir
  11. Para quem estiver interessado em conhecer melhor o Aqueduto dos Pegões vai realizar-se o seguinte evento: http://coord.info/GC4QAJB

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...