sábado, 13 de março de 2010

O centésimo post

Hoje deveria ser um dia de júbilo para este blogue, pela centésima vez que me dirijo a um público cada vez maior, mas com o qual raramente confraternizo. Gostaria de ouvir mais opiniões sobre os assuntos que foco, as questões que coloco, se as minhas dissertações vos fazem algum sentido.
 A pesquisa histórica não é de todo o meu forte, nem tão pouco o meu português, mas creio que sejam suficientes para elucidar minimamente qualquer leitor. Os edifícios retratados costumam ser gráficamente correctos no ponto de vista artístico e fotográfico e as suas estórias são por vezes autênticas pérolas de história que estavam adormecidas num sono profundo. 

Só quando atingimos as metas a que nos propomos damos sentido a qualquer projecto...este projecto ainda “vai no adro”... sei melhor que ninguém todo o trabalho que já tive, sei também o que me resta pela frente. Além de um vastíssimo “campo de batalha”que tenho de cobrir ás minhas custas, cabe-me também a tarefa de agilizar toda a parte social, tentar mediatizar este descalabro e chamar a atenção àquilo que a todos indigna e que ninguém quer ver, é por vezes como nadar contra a corrente.
Toda a gente reconhece o valor deste projecto, recebo os maiores elogios pelo esforço e resultados, porém é difícil arranjar patrocinadores para a exposição, para as deslocações, estadias e toda a logística que isto envolve. É como se tivesse sarna, nenhuma câmara municipal até agora colaborou ou cedeu um espaço de exposição, o IGESPAR fugiu a sete pés, o ministério da cultura só apoia projectos duas vezes por ano, as gasolineiras fecharam torneiras, até a própria marca de material fotográfico que uso me fez um vigoroso manguito!!!
 
 Será que sou o único a trabalhar neste assunto tão grave por amor à camisola??? Porra!!! As ruínas são um assunto que nos concerne a todos como povo e legítimos proprietários de um infindável património decadente!!! Há que fazer algo e depressa!!! Por nós e pelas gerações vindouras devemos defender a nossa história!!! Já vi manifestações por vários motivos, os policias, os professores, os estudantes, os camionistas, os pescadores, agricultores, médicos e enfermeiros e eu sei lá quem mais se manifestou...geralmente estão em causa valores pecuniários, cortes no ordenado e melhores condições de trabalho....mas é sempre por dinheiro!!! Fazem  greves por vezes a torto e a direito, uma vez mais pelos motivos atrás citados...mas jamais alguém se manifestou ou fez greve por filantropia ou por uma causa que não fosse financeira... 
 
 Todos nós nos deveríamos manifestar, nas ruas, no parlamento, na internet e em toda a comunicação social...deveríamos fazer deste motivo uma conversa diária nos telejornais ao focar a desgraça desta triste realidade , todos os dias deveria ser mostrado pelo menos mais uma caso, para que se ganhe uma consciência colectiva e as pessoas possam realizar a gravidade deste descalabro... 
 Se pensarmos que alguns dos edifícios que  retratei já ruíram e muitos outros estão prestes a derrocar poderemos assim compreender a urgência de tomar uma atitude que resolva e dê destino a este imbróglio nacional...porque amanhã poderá ser tarde.
Não sou político nem tão pouco tenho cor partidária, mas sei que a solução está nas mãos dessa nobre classe que finge não ver o que se passa à sua volta. A começar pelo próprio ministério da cultura e  IGESPAR que tem uma ruína em cada frente do seu magnífico Palácio da Ajuda...será que precisam de ajuda para ver a Torre do Galo, todo o quarteirão em redor e as próprias traseiras?? Mas a casa de banho do senhor ministro Carrilho custou 60,000 euros  ao erário público... quais são as prioridades afinal??? O que é que afinal querem fazer ou resolver??? Não deveriam legislar e proteger o nosso património???

 Mas voltemos ao projecto “Ruin’Arte”... a partir de agora vou ter de abrandar o ritmo, estou também a ficar em ruínas...todas as minhas energias têm sido dirigidas a esta causa e tenho-me esquecido de trabalhar em algo mais rentável, talvez com a esperança de conquistar as galerias de arte e as editoras apostei neste projecto como modo de vida, mas pela falta de frutos financeiros e pelos gastos  envolvidos, vou ter de convergir novamente as minhas atenções ao mercado da publicidade e arquitectura...tenho dado também algumas formações que me despertaram uma veia adormecida, quem sabe me dedique também a formar a minha concorrência....seria mais leal com certeza doravante...

Não que vá abandonar este projecto, apenas não vou poder dedicar-me em exclusivo e com o afinco que vos habituei, vai passar a ser um hobby até encontrar apoiantes ou investidores... não posso assumir sozinho os custos de uma volta a Portugal, e muito menos dar-me ao luxo estar mais um ano sem fotografar para clientes...se conhecerem um mecenas, avisem-me por favor...
 

 Todos os esforços financeiros que fiz considero-os como um investimento pessoal e num legado a este país e às futuras gerações... fiz arte e história, tenho essa consciência... partilhei todo este espólio e as minhas experiências, a minha limitada cultura e sensibilidade, opinei e tentei fazer passar uma mensagem que fosse eloquente através de uma abordagem pessoal a este ruinoso assunto... 
 

O saldo foi surpreendente em todos os sentidos excepto no plano financeiro. Aprendi e evolui na maneira de ver e sentir a vida, conheci todo o tipo de gente e consegui relacionar-me com êxito em todas as situações, conheci ministros e ciganos, nobres e plebeus, policias e ladrões, doutores e vagabundos...pesquisei em arquivos e bibliotecas, internet e entrevistas... aprendi história, arquitectura, geografia, informática, filosofia, politica, jornalismo, português... acabei por renascer um pouco, sinto-me infinitamente mais rico!!!!
 

Este blogue, como qualquer outro é um espaço de partilha, é o meu local preferido, uma janela aberta do meu ego para toda uma sociedade e que teima em dar a conhecer ao mundo alguns dos meus pensamentos e pontos de vista. Embora sejam raros os comentários que fazem aos meus esforçados posts, os poucos que tive foram suficientemente encorajadores, sei que estou num bom caminho e assim me pretendo manter... agora esperem pelos próximo cem posts  e continuem a seguir e divulgar este espaço que é de todos nós, cidadãos lusitanos e sebastianistas que ainda acreditam nas manhãs de nevoeiro...
 

13 comentários:

  1. Não se deixe desencorajar. Tudo em Portugal é uma batalha, uma luta, e sei quando diz que por vezes parece infutívora e desgastante.
    Compreendo-o, mas será uma perca enorme se do hobby passar a deixar ruir essa paixão e, estou em crer, sim, que deverá ser o único que faz este tipo de levantamento de uma forma tão completa, com tanta dedicação e consciência.
    Dedique-se á sua vertente de que agora necessita para ganhar a vida, sim, mas não coloque á partida este projecto de parte.
    Muito haverá certamente ainda para registar, tente cobrir o máximo que puder, cubra a área toda sempre puder, Portugal de lés a lés... Continue a nos presentear com a beleza da sua arte, mas não publique tudo "aqui". Registe a autoria de algumas imagens associadas ao projecto ruin´arte sem as postar nem publicar em lado nenhum e preserve-as com a mesma busca de História e estórias, crie mesmo uma parte deste projecto em portfólio á parte, reservando algumas "jóias da coroa"... e não deixe que outro realize um sonho que não é o dele, isso sim, seria totalmente desvastador.
    Patrocinadores, há várias maneiras de chegar até eles, vários caminhos... haveremos de os arranjar.

    ResponderExcluir
  2. O seu trabalho, que sigo com atenção, é excelente. Continue a mostrar o estado do património colectivo neste país de patrimónios individuais. Só lamento que não possa vir mais até ao Norte onde não lhe faltaria trabalho..
    Cumprimentos,
    NR

    ResponderExcluir
  3. Nem sei que lhe diga. Se se cultivou e aprendeu, eis o ganho. Não é fácil valorizar isso, bem sei, mas numa civilização pataqueira até à medula é um valor raríssimo. Não dá pão para a boca mas mantém-nos sãos. E como bem mostra, o que nos vai á volta é um mundo falho de senso.
    Mas não desista. Na certa algum editor livreiro dará seguimento ao que já fez.
    Cumpts.

    ResponderExcluir
  4. Caro,

    O meus parabéns pelo centésimo post. Fizeste história e dedicaste o teu tempo a algo interessante e útil para todos nós portugueses. O teu movimento uma acções foram nobres, acima de todos os valores.

    Como leitor deste blog, compreendo as tuas razões para um futuro abrandamento... mas não desistas dele em nome de nós e do trabalho que fizeste e que te deve deixar com orgulho.


    P.S - Não te esqueças do meu poster :)

    ResponderExcluir
  5. Acho simplesmente magnífico seu trabalho, a maneira como expõe lindamente tudo isso, só tenho que te parabenizar e falar dizer que não desistas, pois há de encontrar os patrocinadores que tanto queres para este belo projeto...bjs carinhosos...

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelos 100, venham mais 100 pá!

    By da way, não me respondeste ao mail com as sugestões, tal como o comentador aqui de cima, também eu estava à espera de ganhar o poster, carago...;)

    Keep up the good work Gaston.

    Aquele abraço a f:64.

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto imenso. As ruinas sao fabulosas, fazem sonhar. E a perspectiva histórica/a pesquisa, muito interessante. Em Sevilha, leio Ruin'arte com o pequeno almoço. Agora, em Lisboa, estou a vê-lo nas ruas...

    ResponderExcluir
  8. Caríssimo! Sabia que havia alguém como eu, com a mania de apreciar edifícios em estado ruinoso, só não sabia que havia alguém com tão completo trabalho nesta área. Foi com muito espanto que 'esbarrei' no seu blog. Sou do norte, de Vila Nova de Famalicão, concelho do Vale do Ave, portanto, zona de intensíssima actividade industrial em épocas que já lá vão e,por conseguinte, com muitas e, porventura, atractivas ruinas. Gosto de fotografia, mas não tenho técnica nem aprendizagem nenhumas, mas gosto de pensar que sou capaz de tirar umas fotos... Mas há uma coisa que lhe gabo e que sou incapaz de fazer: entrar em tais sítios sozinho. Recordo lhe uma vez que entrei numa enorme ruina fabril para tirar umas fotos para um banda de uns amigos e em que tivemos que correr à frente de uma matilha de cães vadios... Só para dar um exemplo. Mas registei paisagens de filme de terror de série Z, com zonas demasiado perigosas para se por os pés mas ainda com mobiliário diverso e, pasme se, folhas várias ou de material ou de horas de pessoal ou de produção espalhadas pelo chão... Era a fábrica da ATMA e fica na estrada Famalicão - Stº Tirso, caso queira saber mais... Deixo lhe aqui o meu e mail para o caso de podermos comunicar. angelo.escort@gmail.com

    Saudações e parabéns pelo trabalho!

    Um abraço amigo, Angelo Pereira.

    ResponderExcluir
  9. Descobri o blog há pouco tempo mas gostei muito do que vi :)
    Deparo-me todos os dias com Lisboa em ruínas e pensei que fosse uma mania minha. Ainda bem que não é. É pena que os responsáveis deste País ignorem e desprezem estas situações e sobretudo o seu esforço, que, a título individual, efectuou um levantamento extenso e completo dos edifícios em ruínas. Todos sabemos que em Portugal a Cultura nã é valorizada assim como os esforços à volta dela. Se não gerar lucro imediato não tem interesse. O que os nossos governantes se esquecem é que a Cultura permite-nos crescer e evoluir e se calhar é por isso que Portugal ainda está tão atrasado nestes aspectos em relação a outros países. Em Inglaterra, por exemplo, o património imóvel é recuperado, salvaguardado e valorizado. Aqui passa-se precisamente o contrário, demolir para modernizar, pensam que assim é o caminho.
    De qualquer da formas, parabéns pelo blog e pelo seu excelente trabalho e espero que as entidades oficiais não demorem muito tempo a abrir os olhos ;)

    ResponderExcluir
  10. O meu nome é Rogério Maciel .Parabéns Gastão !Tenho precisamente o mesmo sentimento , de perplexidade , solidão , tristeza , abandono , que expressa não só nas fotos como também no vídeo do youtube ! Não me tenho decicado exclusivamente a estes edifícios com alma grande e carregados de vida vivida , de história e histórias para contar , mas também tenho exactamente a mesma vontade que emana de si : Salvar o Património nacional ao abandono .
    Tenho também muitas fotos dispersas de património belíssimo , que na sua Ruína suplanta em Beleza e Encanto tantos e tantos edifícios modernos ... Há tantas Maravilhas , verdadeiras Jóias em forma de Ruína , ou ao abandono , que falam de um Portugal Maravilhoso que me parece que querem destruir...
    Deixo-lhe o meu contacto se precisar de alguma coisa da minha parte . Este Património merecia Um Movimento Nacional de Protecção e Recuperação , quanto antes ...

    macieluxcitania@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Voltei! Queria sossegá-lo , de momento , ao menos no que toca á Quinta Real de Caxias , quiçá fruto do seu trabalho .
    Neste momento , sei-o , pois trabalho em Recriação Histórica e contacto com muitas Câmaras Municipais , a CM de Oeiras está em fase de ultimação de negociações para que esta linda Quinta , fique definitivamente na sua tutela .
    Eles já recuperaram os Jardins , as estátuas , a Cegonha no cimo da cascata , assim como estão a fazê-lo com a Cascata (ex-libris) , mas logo que tudo passe para as suas mãos (CM de Oeiras) farão a recuperação total daquele espaço para o usufruto de todos .
    Espero que esta boa nova lhe d~e algum conforto , como a mim me dá , assim como a Esperança de que , por Algum milagre , conseguiremos ainda salvar muito do património de Portugal .

    ResponderExcluir
  12. Adorava poder falar consigo para discutir ideias duma exposição no próximo Verão.
    Seja como for, obrigada por nos ajudar a abrir a pestana!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...