segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Bairro e Escola Camões - Entroncamento

O meu primeiro projecto de "fine art" foi a série "Rust in Peace", a versão "Ruin'Arte da arqueologia industrial. Objectos de uso quotidiano ferrugentos e abandonados na natureza. Uma chamada de atenção a quem degrada o ambiente e despreza a história, abandonando por vezes relíquias sem lhes dar um restauro ou simplesmente reciclá-las.

Estava perto do Entroncamento e lembrei-me de ir procurar comboios em estado de sucata, se existissem seria ali com certeza. Perguntei no museu da CP, onde me afiançaram não haver tal coisa nas imediações..."talvez nas linhas do Norte"... disse-me convincentemente a senhora da recepção... tornei a partir estrada fora e poucos metros adiante estava um bairro devoluto com um monumental edifício...só que ainda não estava interessado em ruínas...o que queria mesmo era sucata..!!!

O meu grande espanto foi ter avistado ao longe por trás de uma cerca, uma linha inteira com carruagens de várias épocas, automotoras, vagões e a cereja no topo do bolo...a locomotiva que  tinha idealizado como meta...

Mais tarde tive de lá voltar para tapar esta lacuna...era o Bairro  Camões, foi construído pela CP, para albergar os seus empregados. Desenhado por Cottineli Telmo e Luís da Cunha, um bairro não camarário, mas de iniciativa empresarial e construído com todos os requintes de conforto e serviço social. Além de ruas ordenadas com pequenas moradias ajardinadas, havia o monumental edifício, tinha uma arquitectura imponente em que um observador menos atento o poderia confundir com um palacete.
A harmoniosa imponência da sua fachada é devida ao seu tamanho e traça lusitanamente definida,  rica em pormenores decorativos, quer no seu interior como no exterior. Respira-se ainda a nostalgia dos tempos em que o ensino era mais rígido e exigente, a disciplina era rigorosa e o patriotismo era transposto em todo o ambiente, que constantemente nos lembrava pela arquitectura e decoração que éramos dignos e orgulhosos portugueses, exaltando hinos em pormenores de arquitectura e subterfúgios patrióticos.

Soube mais tarde, que o meu pai tinha nascido neste bairro. O meu bisavô por via varónica (Teodósio Duarte Silva), era Inspector Geral dos Caminhos de Ferro... como tal, tinha a sua "residência oficial" neste mesmo local... afinal tinha ido bem mais fundo na minha pesquisa e encontrei algumas raízes.
 
O edifício da Escola Camões, propriedade da Refer e alugado à Câmara Municipal do Entroncamento, é um dos mais emblemáticos do património ferroviário e local. Em 1995, o Plano Director Municipal do Entroncamento classificou-o como imóvel de interesse concelhio.
 
O edifício foi projectado em 1926, pelos arquitectos Luís da Cunha e Cottinelli Telmo, e funcionou como escola primária privativa da CP, entre 1928 e 1959. Nos dez anos seguintes funcionou no local a Escola de Aprendizes da empresa. Mais tarde, de 1970 a 1976, funcionou no edifício uma Secção do Liceu Sá da Bandeira, de Santarém. Nos anos 80, esteve lá sedeado o Centro de Ensino e Recuperação do Entroncamento que, em 2001, também partiu para instalações próprias.
 

A Escola Camões, apesar da sua enorme valia patrimonial e dos inúmeros reparos públicos, é hoje um imóvel abandonado e degradado, com as portas escancaradas e os vidros partidos. Recentemente ocorreu uma das suas perdas mais emblemáticas: os mochos de pedra que encimavam os pilares que ladeavam a entrada da escola desapareceram misteriosamente. A incúria da Refer, empresa pública proprietária, é notória e continuada, num evidente desprezo pelo património e pela memória colectiva”.


fonte : http://semanal.omirante.pt



7 comentários:

  1. Ruinas e ruinas...miséria de país com letra pequena.

    ResponderExcluir
  2. Não dá para acreditar no estado deplorável em que está este Palácio de Coculim. Alfama tem um património histórico riquíssimo. Possui becos e pátios de uma beleza e estranheza inigualável. É uma cidade dentro de outra cidade. Por favor preservem-na. Martz Inura

    ResponderExcluir
  3. E as fotos dos comboios são fantásticas. :)

    ResponderExcluir
  4. Boa noite!
    Preciso entrar em contacto consigo sobre esta entrada no seu blogue. Deixo ficar o meu email e aguardo que entre em conbtacto comigo o mais breve possível: cl_graca@hotmail.com-
    Cumprimentos,
    Cláudia Graça

    ResponderExcluir
  5. O LICEU CAMÕES!!!
    A alegria e a tristeza misturam-se perante as imagens, tremedamente belas e dramáticas que nos oferece.
    Não acredito no estado deplorável a que chegou o meu Liceu!!! Quantos anos passaram!!!
    Como é que é possível o Entroncamento deixar cair no chão a sua história? Tão pobres de espírito são os que governam a cidade! Alguns, acredito, passaram bons momentos da sua vida naquele edifício, nem assim o amparam...
    Como é possível permitir que a CP, a REFER, o que seja, desbarate um património que é único no nosso País,(todo o Bairro Camões), e que constitui o que mais emblemático existe na cidade que nasceu para ser um entroncamento ferroviário?
    Pobre País!... Pobre Entroncamento!
    Lumar

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Gastão,

    Cá estou de novo, parece que tenho andado a persegui-lo nas suas ruínas... Este fds deparei-me com o Liceu Camões... A nossa arquitectura até ao 25 de Abril é algo de grandioso... Com o 25 de Abril muito se perdeu, um cortar com o passado, um erro digo, que nos tem levado a perder a nossa identidade. Camões está às voltas no túmulo... Estou a divagar... Bom, peço-lhe ajuda porque gostaria de saber mais acerca destas ruínas. Pode entrar em contacto para : dcaramez@gmail.com.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  7. Boas, gostaria de falar consigo por e-mail, fica aqui o meu gmail: brunolopes148@gmail.com

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...